A diretora-geral da Saúde confirmou ao final da tarde desta segunda-feira, 24, que o português infetado com coronavírus a bordo de um navio de cruzeiros atracado no porto japonês de Yokohama será enviado na próxima madrugada [tarde no Japão, como o REGIÃO DE LEIRIA noticiou às 10h10 desta manhã] para um hospital de referência local.

Em conferência de imprensa em Lisboa, Graça Freitas disse que Adriano Maranhão, que foi colocado em quarentena na sua cabine, será enviado para um hospital de referência, o que deverá ocorrer na próxima madrugada (hora de Lisboa).

Esta informação, disse Graça Freitas, foi transmitida à Direção-Geral da Saúde (DGS) pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), que tem representantes a seguir a situação no local.

A diretora-geral de Saúde explicou que os sintomas do tripulante do navio de cruzeiros Diamond Princess indicam que a situação “não seja grave” e expressou a sua “empatia e simpatia” para com a família do trabalhador português, cuja mulher tem manifestado, em declarações à comunicação social, queixas de falta de acompanhamento da situação do marido.

Graça Freitas afirmou que inicialmente havia suspeitas de infeção entre oito portugueses que estavam no navio – três passageiros e cinco tripulantes.

Os passageiros não acusaram a doença e, dos tripulantes, quatro tiveram resultados negativos.

Quanto a Adriano Maranhão, canalizador no Diamond Princess, não tinha inicialmente sintomas, mas o exame revelou-se positivo.

Lusa